Apps são a bola da vez da tecnologia mobileTecnologia da Informação Blog O Gestor

Apps são a bola da vez da tecnologia mobile

Por Luis Marcos Leite | Guest Posts | Sem Comentários
 Este guest post de autoria de Humberto Puperi, Diretor de Pré-Vendas da Cinco TI nos conta que os apps são a bola da vez da tecnologia mobile.

Tecnologia mobile: Apps são a bola da vez

O mercado de aplicativos teve seu início em 2007, com o lançamento do primeiro iPhone. O smartphone da Apple foi o precursor de uma nova era, marcada pela autonomia do usuário que, a partir de agora, tem em mãos um celular configurado de acordo com suas necessidades. A novidade revolucionou a telefonia móvel, e, ano após ano, o mercado dos aplicativos garantiu o seu espaço na economia mundial. Hoje, os apps são tão parte da nossa rotina que é difícil imaginarmos alguma atividade que não passe pelo uso de um aplicativo. Seja escolher um restaurante ou chamar um táxi, atualmente, temos tudo ao alcance das mãos, viabilizado através de alguns toques na tela sensível do celular.

Apps são a bola da vez

Os números apurados pela IDC em março de 2013, nos EUA, ilustram bem a realidade: os aplicativos já representam 84% das atividades em celulares. Apenas 16% do tempo gasto por um usuário de smartphone é destinado a ligações telefônicas. Dentre as atividades mais populares, estão o acesso a redes sociais, a leitura e o envio de e-mails e a navegação na web. Além desses aplicativos com funcionalidades mais comuns, uma grande variedade de softwares se propõe a auxiliar o usuário nas tarefas do dia a dia. A exemplo, os aplicativos de bancos: em vez irmos até o caixa eletrônico retirar um extrato bancário, podemos acessar o app pelo smartphone e realizar das operações mais simples, como a retirada de um extrato, às mais complexas, como um pagamento.

Apps são a bola da vez

Os aplicativos, com suas incríveis funcionalidades, são uma das principais razões pela grande procura por smartphones — em 2013, foram 35,6 milhões de aparelhos vendidos somente no Brasil. A função dos apps móveis é tornar a vida dos usuários mais simples e proporcionar uma alternativa mais agradável às tarefas diárias. Eles podem indicar um bom restaurante, informar o horário das linhas de ônibus e metrô ou substituir uma babá eletrônica. Muitos dos apps disponíveis podem realizar funções tão sofisticadas, que são capazes de substituir equipamentos caros. Sendo assim, até mesmo os aplicativos pagos, que em sua maioria custam algo como 5 reais, compensam o investimento, já que os recursos que acrescentam ao celular são muito úteis para o usuário.

O poder que o smartphone permite é imensurável. Hoje, saímos de casa com celular, carteira e chaves em mãos. Em pouco tempo, apenas o celular será suficiente, pois todos outros utensílios estarão integrados.

Para refletir (e responder nos comentários abaixo):

Como será o futuro desse mundo controlado por smartphones?

Do que seremos capazes com apenas um aparelho em mãos, e quais os limites dessa tecnologia?

Em meio às incertezas que nos cercam, apenas podemos afirmar o seguinte: a era dos aplicativos está só no começo. Essa é uma tecnologia recente, que ainda requer muitos aperfeiçoamentos para satisfazer seus usuários por completo e conquistar mais e mais público. Felizmente, a alta demanda incentiva o desenvolvimento de produtos cada vez mais adequados às necessidades do consumidor. A era dos aplicativos está só começando…

E você, o que acha? Participe, deixando sua opinião no comentário abaixo e atribuía suas estrelinhas votando neste guest post.

Guest post - escreva o seu no blog O Gestor

 

Vote neste post

Servidor Público, Tecnólogo em Gestão da Tecnologia da Informação, docente de informática freelancer e problogger.

Deixe seu comentário